segunda-feira, 26 de março de 2012

EM TEMPOS DE CRISE, DESPESISMO ABSURDO NAS AUTARQUIAS CONTINUA ....

                                                        
NESTES TEMPOS DE CRISE, DOIS EXEMPLOS  DE MÁ GESTÃO DE DINHEIROS PÚBLICOS:


Em 2009, como é do conhecimento público, o município do Seixal acumulou dívidas em montante superior a 70 milhões de euros. Esperava-se alguma contenção e austeridade, mas eis quando, no ano seguinte, em quadros e outros bens de decoração decide gastar 72 mil euros - ver documento-

INACREDITÁVEL é o caso do concelho de Sernancelhe, com menos de 6 mil habitantes, onde executivo municipal que decidiu gastar mais de 260 mil euros na construção do largo das festas de Vila da Ponte - ver documento-
Vila da Ponte é uma freguesia do concelho com 470 habitantes, (ver) pelo que o encargo corresponde a  553,192€ por habitante

PALAVRAS PARA QUÊ?  SÃOS ESTES OS POLÍTICOS QUE TEMOS E A QUEM VAMOS DANDO O NOSSO VOTO? NÃO ESTARÁ NA HORA DA MUDANÇA ?
Deuncia do Ob. Má Desp. Pública





Herberto Hélder - Era uma vez um pintor que tinha um aquário - Dito por Mário Viegas

Baby Can I Hold You Tonight por PAVAROTTI e TRACY CHAPMAN

sexta-feira, 23 de março de 2012

Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas gasta 2,2 MILHÕES de euros em viagens, jantares, galas, brinquedos do Toys Rus, cartões de Natal, donativos …. e para os agricultores .. zero.. cêntimos.


Veja como o IFAP–Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas - gasta  2,2 MILHÕES de euros em viagens, jantares, galas, brinquedos do Toys Rus, cartões de Natal, donativos …. e para agricultores .. zero.. cêntimos.

Será melhor nós, os tais a quem só são pedidos sacrifícios, memorizarmos  esta entidade “IFAP” – Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, é que somos nós que estamos a pagara toda esta loucura:

- “Aluguer” do Palácio da Rocha Conde de Óbidos, por UM dia € 4.000 (ver);
- Um Jantar de Gala (em Maio) no Porto, € 5.481 (ver);
- Um jantar num hotel em Lisboa (em Maio) € 14.316 (ver);
- Viagens, adjudicação a Agências de Viagens € 75.000 (ver),  € 95.000 (ver), e € 115.000 (ver), no total de € 285.000;
- Aluguer de 7 viaturas todo o terreno, a linda soma de € 38.500 (ver);
- Aquisição de Cartões de Ofertas de Natal € 4.620 (ver);
- Aquisição de Ofertas de Natal à TOYS RUS € 7.830 (ver);
- Donativo ao IPJ - Instituto Português da Juventude (estranho à sua jurisdição) € 383. 670,80 (ver);

- O Ministério da Agricultura e Pescas foi quem mais técnicos e funcionários dispensou para o Quadro da Mobilidade, presumindo-se excesso de pessoal ou falta de trabalho. Ora, é muito ESTRANHO que venha, agora, recorrer aos privados na prestação de serviços por parte de 93 TÉCNICOS, por 150 dias, no valor de € 1.428.926,40 (ver).   E só nestas "coisitas", já vão mais de 2.200.000 Euros.

QUEM PAGA SOMO NÓS, MAS QUEM PODE PÔR UM TRAVÃO NISTO?
Dados e inf obtidos no Ob. Má Despesa Pública

Fernando Pessoa - Poema em linha reta - dito por Hugo Quintino

3 minutos e 33 segundos de puro prazer para os olhos e para os ouvidos. Vídeo "Human Planet" da BBC One

Verdi - Nabucco 2011 - Arena di Verona

terça-feira, 20 de março de 2012

O Sacrificado Contribuinte Vai Pagar a Estrutura Faraónica do EUROPARQUE Por Execução do Aval do Estado, Face à Inca-pacidade Financeira da AEP-Assoc. Empresarial de Portugal !

O Europarque, em Santa Maria da Feira, apresenta-se como um espaço para “congressos, seminários, feiras, reuniões, banquetes, orquestras, concertos, recitais, ópera”. A Associação Empresarial de Portugal (AEP), detentora de 51% do capital do Europarque, em Santa Maria da Feira, reconheceu recentemente a impossibilidade em honrar os seus pagamentos à banca, o que vai conduzir à execução do aval do Estado. Ou seja, a dívida vai passar para o Estado.
Desde o início da sua exploração, em 1996, o Europarque nunca teve resultados positivos. “É um disparate, é um flop, um investimento falhado”, considera José António Barros, actual presidente da AEP. O Europarque custou 71 milhões de euros, dos quais 35 pagos pelos contribuintes nacionais. Mais milhões serão agora pelos contribuintes.
O Europarque tem um grande auditório com 1.414 lugares; um pavilhão multiusos com 7.200 m²; e numerosas salas de congressos, entre 35 e 1.000 m², adequadas para reuniões e conferências, com capacidades que vão das 20 às 11.000 pessoas (Fonte Wikipedia -ver-). Tudo praticamente vazio.
Denúncia do Observatório da Má Desp. Pública




Ruy Belo - "Tu estás aqui"- EXCELENTE Poema dito por Luís Miguel Cintra

Ruy de Moura Belo (nasceu em São João da Ribeira, Rio Maior,a 27 de Fevereiro de 1933  e faleceu em Queluz, 8 de agosto de 1978) foi um poeta e ensaísta português.Em 1951 entrou para a Universidade de Coimbra como aluno de Direito e tornou-se membro da Opus Dei. Concluiu o curso de direito em Lisboa, em 1956, ano em que partiu para Roma, doutorando-se em direito canónico pela Universidade S. Tomás de Aquino (Angelicum), dois anos depois, com uma tese intitulada "Ficção Literária e Censura Eclesiástica".Regressado a Portugal, trabalhou no campo editorial e em 1961 entrou na Faculdade de Letras de Lisboa, recebendo uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para investigação, abandonou a Opus Dei e foi leitor de Português em Madrid entre 1971 e 1977.oO seus primeiros livros de poesia foram Aquele Grande Rio Eufrates de 1961 e O Problema da Habitação de 1962. Às colectâneas de ensaios Poesia Nova de 1961 e Na Senda da Poesia de 1969, seguiram-se obras cuja temática se prende ao religioso e ao metafísico, sob a forma de interrogações acerca da existência. É o caso de Boca Bilingue de 1966, Homem de Palavras(s) de 1969, País Possível de 1973, antologia), Transporte no Tempo de 1973, A Margem da Alegria de 1974, Toda a Terra de 1976 e Despeço-me da Terra da Alegria de 1977. O versilibrismo dos seus poemas conjuga-se com um domínio das técnicas poéticas tradicionais. A sua obra, organizada em três volumes sob o título Obra Poética de Ruy Belo,  foi, entretanto, alvo de revisitação crítica, sendo considerada uma das obras cimeiras, apesar da brevidade da vida do poeta, da poesia portuguesa contemporânea.Apesar do curto período de actividade literária, Ruy Belo tornou-se um dos maiores poetas portugueses da segunda metade do século XX, tendo as suas obras sido reeditadas diversas vezes.

Puccini - Madame Butterfly - Coro à boca fechada - Concerto de 2010 em Madrid

Concerto "Vozes para a Paz  de2010",
realizado no Auditório Nacional de Música, 
em Madrid, a 13 de Junho de 2010,
dirige a orquestra Miguel Roa.

A obra do pintor inglês Dante Gabriel Rossetti

Dante Gabriel Rossetti (Londres, 12 de Maio de 1828 — Birchington-on-Sea, 10 de Abril de 1882), originalmente Gabriel Charles Dante Rossetti, foi um poeta, ilustrador e pintor inglês de origem italiana. Devido à sua preferência pela poesia medieval e, em especial pela obra de Dante, Rossetti muda a ordem dos seus nomes e passa a usar Dante em primeiro lugar.
Fundou, juntamente com John Everett Millais e William Holman Hunt, em 1848, a Irmandade Pré-Rafaelita, um grupo artístico entre o espírito revivalista do romantismo e as novas vanguardas do século XX.
Rossetti também escrevia poemas para seus quadros, como "Astarte Syraica". Como designer, trabalhou com William Morris para produzir imagens para vitrais e decorações.
Como ilustrador, Rossetti produziu poucas trabalhos, mas que tiveram influência duradoura sobre ilustradores do século XIX e XX. Fez ilustrações para Moxon Tennyson, Allingham e para os livros de poesia de sua irmã Christina Rossetti.

domingo, 18 de março de 2012

Cântico de Amor - Poema de Miguel Torga

Novo "site" do Turismo do Douro custou € 580 MIL e é inferior a outro que custou apenas € 9 mil. Continua a "novela" do des-perdício dos dinheiros de todos nós.


O site Douro Valley (ver) custou 580.000 euros (ver) e arrancou a 24 de Janeiro de 2012. Segundo os responsáveis, trata-se do primeiro portal de divulgação e promoção turística da região do Douro, com notícias, eventos, pontos de interesse e itinerários, com dezenas de artigos descritivos, com fotografias e vídeos ilustrativos, dos principais atractivos da região. No entanto, como explica um entendido, a qualidade é má e o valor despropositado.
“Acho que o valor não tem justificação. O site está feio, não está intuitivo nem respeita várias regras de usuabilidade utilizadas nos dias de hoje. Tem vários erros, não tem sequer uma aplicação para dispositivos móveis (andar no terreno com georeferenciação é factor chave no futuro do turismo) logo, o site está obsoleto e saiu agora para o mercado!
Não se percebe, também, a forma como os POI's são listados e o porque têm determinada ordem. São mostrados 7, 8 resultados em mapa e os restante em listagem. Qual é o tipo de organização da amostragem de dados? Um site feito com capitais públicos não pode beneficiar um POI em detrimento de outro! Não há tecnologia nenhuma no site que justifique o valor.
A título de exemplo, indica-se um site que custou €9.000 o site: turismovirtual.amdourosuperior.com/pt/mapa (ver). Mostra todos os POI's por categoria e por concelho sem limite de quantidade. Para criar itinerário basta abrir o micro site e imprimi-lo de forma inteligente, fez-se melhor, só que com muito menos dinheiro, MENOS QUINHENTOS MIL EUROS. Deixo a indignação, Portugal está mal por gastar desmesuradamente dinheiro mal gasto em coisas obsoletas e despropositadas, MAS, GERALMENTE, ALGUÉM, ÀS CUSTAS DO CONTRIBUINTE, SAI SEMPRE EXCEPCIO-NALMENTE FAVORECIDO.
Denúncia do Ob. Má Desp. Pública

BRYAN ADAMS, ROD STEWART e STING - TRIO MARAVILHA - cantam o tema All For Love

quarta-feira, 14 de março de 2012

O PORTUGAL FUTURO de Ruy Belo - dito por Lula Pena

Ruy de Moura Belo (nasceu em São João da Ribeira, Rio Maior,a 27 de Fevereiro de 1933  e faleceu em Queluz, 8 de agosto de 1978) foi um poeta e ensaísta português.
Em 1951 entrou para a Universidade de Coimbra como aluno de Direito e tornou-se membro da Opus Dei. Concluiu o curso de direito em Lisboa, em 1956, ano em que partiu para Roma, doutorando-se em direito canónico pela Universidade S. Tomás de Aquino (Angelicum), dois anos depois, com uma tese intitulada "Ficção Literária e Censura Eclesiástica".
Regressado a Portugal, trabalhou no campo editorial e em 1961 entrou na Faculdade de Letras de Lisboa, recebendo uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para investigação, abandonou a Opus Dei e foi leitor de Português em Madrid entre 1971 e 1977.
oO seus primeiros livros de poesia foram Aquele Grande Rio Eufrates de 1961 e O Problema da Habitação de 1962. Às colectâneas de ensaios Poesia Nova de 1961 e Na Senda da Poesia de 1969, seguiram-se obras cuja temática se prende ao religioso e ao metafísico, sob a forma de interrogações acerca da existência. É o caso de Boca Bilingue de 1966, Homem de Palavras(s) de 1969, País Possível de 1973, antologia), Transporte no Tempo de 1973, A Margem da Alegria de 1974, Toda a Terra de 1976 e Despeço-me da Terra da Alegria de 1977. O versilibrismo dos seus poemas conjuga-se com um domínio das técnicas poéticas tradicionais. A sua obra, organizada em três volumes sob o título Obra Poética de Ruy Belo,  foi, entretanto, alvo de revisitação crítica, sendo considerada uma das obras cimeiras, apesar da brevidade da vida do poeta, da poesia portuguesa contemporânea.
Apesar do curto período de actividade literária, Ruy Belo tornou-se um dos maiores poetas portugueses da segunda metade do século XX, tendo as suas obras sido reeditadas diversas vezes.

Vídeo com 10 fotografias que fizeram e retratam a história do século XX

terça-feira, 13 de março de 2012

Jackie Evancho, em Pie Jesu (soprano de excelência com apenas 11 anos)

Jackie Evancho, nascida a 9 de Abril de 2000, em Pitsburgo, Estados Unidos da América, começou a cantar  aos sete anos, após ter visto "O Fantasma da Ópera" surpreendendo todos com a qualidade do seu canto. É, com 11 anos, considerada um fenómeno que, além das suas qualidades como soprano, toca violino e piano.
  video




A obra da pintora inglesa Eleanor Fortescue Brickdale (1871-1945)

Fortescue-Brickdale was born in Upper Norwood, Surrey. Her father was a barrister. She was trained first at the Crystal Palace School of Art, under Herbert Bone and entered the Royal Academy in 1896. Her first major painting was The Pale Complexion of True Love (1899). She soon began exhibiting her oil paintings at the Royal Academy, and her watercolours at the Dowdeswell Gallery, where she had several solo exhibitions.[1]While at the academy, she came under the influence of John Liston Byam Shaw, a protegé of John Everett Millais much influenced by John William Waterhouse.[1]. When Byam Shaw founded an art school in 1911, Fortescue-Brickdale became a teacher there.In 1909, Ernest Brown, of the Leicester Galleries, commissioned a series of 28 watercolour illustrations to Tennyson's Idylls of the King, which she painted over two years. They were exhibited in the gallery in 1911, and 24 of them were published the next year in a deluxe edition of the first four Idylls She lived during much of her career in Holland Park Road, opposite Leighton House, where she held an exhibtion in 1904. Later, she also worked with stained glass. She was a staunch Christian, and donated works to churches. Amongst her best known works are The Uninvited Guest and Guinevere. She died in 1945.

segunda-feira, 12 de março de 2012

PAULO MORAIS ACUSA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE SER FONTE DE CORRUPÇÃO, INDICANDO CASOS E NOMES

O vice-presidente da Transparência e Integridade, a organização não-governamental de luta contra a corrupção, acusa o Parlamento de ser NINHO DE CORRUPÇÃO. Em declarações à SIC Noticias, Paulo Morais cita casos e indica nomes.
(SIC NOTÍCIAS 8 Março)

video

PARA QUE NOS SERVEM OS MINISTROS, SECRETÁRIOS DE ESTADO, DIRECTORES-GERAIS, GESTORES PÚBLICOS, MILHARES DE ASSESSORES E QUADROS TÉCNICOS SE, POR SI, NADA SABEM EXECUTAR?

Os staffs dos Ministérios, Direcções-Gerais, e de milhentos Serviços Públicos custam muitos milhões ao contribuinte, PRESUMINDO-SE que seriam capazes, por si, de cumprirem as suas tarefas. Mas será assim?

Então porque se gastam milhares de milhões em contratos de prestação de serviços com privados, quando esses serviços deveriam ser realizados pelos próprios Organismos? Será que os assessores e afins contratados com vencimentos principescos para nada servem? Não são competentes? Ou será que além desses e doutros, se contratam prestação de serviços a privados como forma de “dar a mão” a quem não “entrou” para a administração?

Afinal, para que existem “Serviços Jurídicos” em todos os Ministérios se depois se vão gastar muitos milhões com advogados e sociedade de advogados privados? Será que os juristas do Estado não servem? Para e porquê lá estão? O mesmo se dirá de muitos  e muitos outros serviços.

Alguém consegue explicar AOS QUE SÓ SÃO EXIGIDOS SACRIFÍCIOS, A NÓS QUE TEMOS QUE MANDAR OS NOSSOS FILHOS PARA A EMIGRAÇÃOcomo é que é possível que haja serviços que precisem que privados façam o PLANO OPERACIONAL PARA O TURISMO e depois o ESTUDO PRÉVIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJECTOS DE TURISMO? Para que nos serve uma estrutura dessas? Para que precisa, afinal, dos técnicos que lá laboram?
Um entre muitos, veja-se o caso do TURISMO DO ALENTEJO:
- Pagou 74 mil euros pelo Plano Operacional de Turismo do Alentejo -ver documentoe posteriormente;
- Pagou 70 mil euros para a realização de Estudos Prévios ao Desen-volvimento de Projectos do Turismo do Alentejo –ver documento-
ATÉ QUANDO, NÓS OS SACRIFICADOS E SEM FUTURO PARA OS NOSSOS FILHOS, VAMOS ASSISTIR IMPÁVIDA E SERE-NAMENTE A ESTA DELAPIDAÇÃO E DESTRUIÇÃO DO NOSSO PAÍS?  ATÉ QUANDO?
Denuncia do Ob. Má despesa Pública

Andre Rieu & Sirtaki Zorba Dance in Royal Albert Hall

A obra do pintor Búlgaro Yanko Yanev

terça-feira, 6 de março de 2012

DEMITA-SE, senhor PRIMEIRO MINISTRO! ESCREVEU FRIA E CONTUNDENTEMENTE NICOLAU SANTOS NO EXPRESSO

Demita-se, Senhor Primeiro-Ministro

Nicolau Santos, na sua habitual coluna do semanário Expresso, desnudava a alma, com estes termos: Sr primeiro-ministro, depois das medidas que anunciou sinto uma força a crescer-me nos dedos e uma raiva a nascer-me nos dentes. Também eu, senhor Primeiro-Ministro. Só me apetece rugir!...
O que o Senhor fez, foi um Roubo! Um Roubo descarado à classe média, no alto da sua impunidade política! Por isso, um duplo roubo: pelo crime em si e pela indecorosa impunidade de que se revestiu. E, ainda pior: Vossa Excelência matou o País!
Invoca Sua Sumidade, que as medidas são suas, mas o déficite é do Sócrates! Só os tolos caem na esparrela desse argumento.
O déficite já vem do tempo de Cavaco Silva, quando, como bom aluno que foi, nos anos 80, a mando dos donos da Europa, decidiu, a troco de 700 milhões de contos anuais, acabar com as Pescas, a Agricultura e a Industria. Farisaicamente, Bruxelas pagava então, aos pescadores para não pescarem, e aos agricultores para não cultivarem. O resultado, foi uma total dependência alimentar, uma decadência industrial e investimentos faraónicos no cimento e no alcatrão. Bens não transaccionáveis, que significaram o êxodo rural para o litoral, corrupção larvar e uma classe de novos muitíssimo-ricos. Toda esta tragédia, que mergulhou um País numa espiral deficitária, acabou, fragorosamente, com Sócrates. O déficite é de toda esta gente, que hoje vive gozando as delícias das suas malfeitorias. E você é o herdeiro e o filho predilecto de todos estes que você, agora, hipocritamente, quer pôr no banco dos réus.
Mas o Senhor também é responsável por esta crise. Tem as suas asas crivadas pelo chumbo da sua própria espingarda. Porque deitou abaixo o PEC4, de má memória, dando asas aos abutres financeiros para inflacionarem a dívida para valores insuportáveis e porque invocou como motivo para tal chumbo, o carácter excessivo dessas medidas. Prometeu, entretanto, não subir os impostos. Depois, já no poder, anunciou como excepcional, o corte no subsídio de Natal. Agora, isto! Ou seja, de mentira em mentira, até a este colossal embuste, que é o Orçamento Geral do Estado.
Diz Vossa Eminência que não tinha outra saída. Ou seja, todas as soluções passam pelo ataque ao Trabalho e pela defesa do Capital Financeiro. Outro embuste. Já se sabia no que resultaram estas mesmas medidas na Grécia: no desemprego, na recessão e num déficite ainda maior. Pois o senhor, incauto e ignorante, não se importou de importar tão assassina cartilha. Sem Economia, não há Finanças, deveria saber o Senhor. Com ainda menos Economia (a recessão atingirá valores perto do 5% em 2012), com muito mais falências e com o desemprego a atingir o colossal valor de 20%, onde vai Sua Sabedoria buscar receitas para corrigir o déficite? Com a banca descapitalizada (para onde foram os biliões do BPN?), como traçará linhas de crédito para as pequenas e médias empresas, responsáveis por 90% do desemprego?
O Senhor burlou-nos e espoliou-nos. Teve a admirável coragem de sacar aos indefesos dos trabalhadores, com a esfarrapada desculpa de não ter outra hipótese. E há tantas! Dou-lhe um exemplo: o Metro do Porto. Tem um prejuízo de 3.500 milhões de euros, é todo à superfície e tem uma oferta 400 vezes!!! superior à procura. Tudo alinhavado à medida de uns tantos autarcas, embandeirados por Valentim Loureiro. Outro exemplo: as parcerias publico-privadas, grande sugadouro das finanças públicas. Outro exemplo: Dizem os estudos que, se V.Exa cortasse na mesma percentagem, os rendimentos das 10 maiores fortunas de Portugal, ficaríamos aliviadinhos de todo, desta canga deficitária. Até porque foram elas, as grandes beneficiárias desta orgia grega que nos tramou. Estaria horas, a desfiar exemplos e Você não gastou um minuto em pensar em deslocar-se a Bruxelas, para dilatar no tempo, as gravosas medidas que anunciou, para Salvar Portugal!
Diz Boaventura de Sousa Santos que o Senhor Primeiro-Ministro é um homem sem experiência, sem ideias e sem substrato académico para tais andanças. Concordo! Como não sabe, pretende ser um bom aluno dos mandantes da Europa, esperando deles, compreensão e consideração. Genuina ingenuidade! Com tudo isto, passou de bom aluno, para lacaio da senhora Merkel e do senhor Sarkhozy, quando precisávamos, não de um bom aluno, mas de um Mestre, de um Líder, com uma Ideia e um Projecto para Portugal. O Senhor, ao desistir da Economia, desistiu de Portugal! Foi o coveiro da nossa independência. Hoje, é, apenas, o Gauleiter de Berlim.
Demita-se, senhor primeiro-ministro, antes que seja o Povo a demiti-lo.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Gonçalo da Câmara Pereira coloca filha a assessorá-lo na Assembleia Municipal Lisboa e os contribuintes pagam-lhe 2.000 euros / mês

Toda a gente sabe quem é o Gonçalo Maria Pacheco da Camara Pereira. Como dirigente do PPM-Partido Popular Monáquico é “deputado” na Assembleia Municipal de Lisboa, tal como a colega de partido Aline Gallasch-Hall, como muito bem se divulga no blog do partido (ver)
PPM-Partido Popular Monárquico-Grupo Municipal Lisboa
Espaço do Grupo Municipal de Lisboa do PPM. O PPM conta com 2 deputados na Assembleia Municipal de Lisboa: Aline Gallasch-Hall e Gonçalo da Camara Pereira.

O citado Gonçalo da Camara Pereira é pai de três filhas (ver documento) e, como para todos os demais jovens, o futuro é pouco promissor e, nesta altura, quem não conhece vários licenciados que, no estrangeiro, servem às mesas, lavam louca e fazem outros tipos de trabalhos, visto que o caminho que lhes foi apontado foi o da  emigração?
Contudo, este país continua a ser para alguns jovens. Para aqueles que este blog tem exibido documentação que comprova a existência de contratos e alguns vencimentos milionários, para este tempo de crise.
Imaginem a quem é que o Municio de Lisboa paga 2.000 euros/mês para prestar serviços de apoio ao partido do pai e o pai nas funções de deputado municipal? Pois é, conforme documento anexo, (ver) é a filha do Gonçalo Maria Pacheco da Camara Pereira.
Nestes tempos de austeridade, o Presidente António Costa, a Assembleia Municipal de Lisboa e demais intervenientes que razões é que nos podem dar (a nós, aos tais a quem só é pedido sacrifícios) para que a dita menina tenha passado de € 11.946,12 em 2011 (ver documento), para € 23.415,48 em 2012?

VIVA A MONARQUIA, VIVAM OS FILHOS DOS PAPÁS!
Denuncia do Obs. Má Despesa Pública

LIBERDADE de Fernando Pessoa, dito por João Villaret